Movimento de cargas em portos públicos cresce 2,26% no 1º trimestre.

No 1º trimestre de 2018, os portos públicos do país movimentaram mais de 83,3 milhões de toneladas, um aumento acumulado de 2,26% em relação ao mesmo período de 2017, de acordo com os dados da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq). Os portos privados, responsáveis por 66,4% de toda a movimentação no setor, registraram queda de 2,53% na comparação, movimentando 164,7 milhões de toneladas. No total, os terminais portuários registraram recuo de quase 1% no trimestre, no comparativo com o ano anterior.

No cenário dos primeiros meses de 2018, os portos públicos tiveram crescimento de 4,30% em janeiro, seguido de queda de 2,32% no mês de fevereiro, e alta de 4,85% em março. O Porto de Santos, em São Paulo, teve saldo positivo de 9,28% no primeiro trimestre, movimentando 25,1 milhões de toneladas. Paranaguá, no Paraná, registrou crescimento de 13,76% na comparação com 2017, com um total de 11,7 milhões de toneladas. Por outro lado, o Porto de Itaguaí, no Rio de Janeiro, teve variação negativa de 7,11% no período analisado.

Já os portos privados registraram queda de 1,85%, 4,09% e 1,74% nos meses de janeiro a março, respectivamente. O Terminal Ponta da Madeira, no Maranhão, utilizado principalmente para a exportação de minério de ferro, teve alta de 8,5% no trimestre, tendo movimentado 40,3 milhões toneladas. O Terminal de Tubarão, próximo ao Porto de Vitória (ES), também operado pela mineradora Vale, registrou queda de 18%.

MERCADORIA – A movimentação de contêineres nos portos – públicos e privados – tiveram alta de 6,55% no trimestre, que representa 25,2 milhões de toneladas. A soja também teve crescimento de 5% no período. O minério de ferro recuou 6,31% no trimestre e o petróleo e derivados também, de 1,15%.

NAVEGAÇÃO INTERIOR – O transporte de cargas em vias interiores – realizada em hidrovias interiores, em percurso nacional ou internacional – registrou aumento de 5% no comparativo entre 2018 e 2017, sendo responsável pelo transporte de 22,2 milhões de toneladas, principalmente granéis sólidos.
A navegação de longo curso, realizada entre portos brasileiros e estrangeiros, teve variação negativa de 2,37% (178,9 milhões de toneladas) e a cabotagem de 1,77% (37,8 milhões de toneladas) no total de cargas transportadas. A cabotagem é tipo de navegação entre os portos ou pontos do território brasileiro, utilizando a via marítima ou estas e as vias navegáveis interiores.

Fonte: Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil

Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *